wigs for women wig types hair extensions for short hair headband wigs human hair wigs wig types sepia wigs wigs for black women forever young wigs synthetic hair lace wigs wig store human hair falls sherri shepherd wigs lace front wigs best wigs wigs for black women raquel welch wigs lace front wigs human hair wigs wigs for black women wigs for women cheap wigs lace front wigs human hair wigs hairpieces for women
BioInfo - Jean Baptiste Lamarck (1744 - 1829)

Busca

Lamarck foi militar e naturalista e nasceu em Bazantin, França, em 1744. Seus estudos são zoológicos e botânicos.

A história da biologia evolucionária começa realmente em 1859, com a publicação de Charles Darwin: A Origem das Espécies. No entanto, muitas das ideias de Darwin têm origens mais antigas.

A afirmação de Darwin mais controversa é que as espécies não são fixas em sua forma, mas que uma espécie evolui para outra. ("Fixas" aqui significa que não mudam).

jean-baptiste-lamarck

A ancestralidade humana, por exemplo, passa por uma série de formas contínuas que levam aos estágio iniciais unicelulares.

O fixismo das espécies era a crença ortodoxa da época de Darwin, o que não significa que ninguém antes ou até aquela época questionava isso. Naturalistas e filósofos um ou dois séculos antes de Darwin já expeculavam sobre a transformação das espécies. Até mesmo o avô de Darwin, Erasmus Darwin, é um exemplo. No entanto, nenhum desses pensadores propuseram algo que hoje nós consideramos como uma teoria satisfatória para explicar porquê as espécies mudam.

A questão foi trazida pela naturalista francês Jean-Baptiste Lamarck. Seu trabalho crucial foi Filosofia Zoológica (1809), na qual ele discute que as espécies mudam através do tempo em outras espécies. O modo que ele pensava que as espécies mudavam eram diferentes das de Darwin e nossas ideias modernas. Chamamos as ideias de Lamarck de transformismo.

   
A figura ao lado ilustra a concepção de evolução de Lamarck, e como ela difere da de Darwin e nosso conceito moderno. Lamarck supôs que as linhagens de espécies persistiam indefinidamente, mudando de uma forma para outra; as linhagens no seu sistema não se dividiam ou extinguiam. Lamarck tinha uma explicação do porque as espécies evoluíam em duas partes.  
   

O mecanismo principal era uma "força interna" - algum tipo de mecanismo desconhecido do organismo que o fazia produzir proles levemente diferentes de si mesmo, tais quais eram acumuladas através das gerações e podia ser visivelmente transformada, talvez o suficiente para uma nova espécie.

O segundo mecanismo de Lamarck é a pelo qual ele hoje é lembrado: "a herança de caracteres adquiridos". Biólogos usam a palavra "caracter" para "característica". Um caracter é qualquer propriedade distinguível de um organismo; aqui não se refere a caracter no sentido de personalidade. Enquanto o organismo se desenvolve, ele adquire muitos caracteres individuais, neste senso biológico, por causa de seu histórico de acidentes, doenças e exercícios. Lamarck sugeriu que uma espécies poderia se transformar se essas modificações adquiridas fossem herdadas pela prole do indivíduo.

   

Na sua famosa discussão do pescoço da girafa, ele argumentava que as as girafas ancestrais esticavam seus pescoços para chegarem em folhas mais altas. Isso fez com que seus pescoços ficassem levemente mais longos. Seus pescoços mais longos eram herdados pelas suas proles, que iniciavam suas vidas propensos a crescer mais ainda seus pescoços. Após muitas gerações de esticação de pescoço, o resultado seria o que vemos hoje.

jirafas
 

Lamarck descreveu o processo como sendo dirigido por uma "vontade" na girafa, e ele costumava dizer que os animais "desejavam" ou "queriam" mudar. Sua teoria foi, por isso, caracterizada como sugestiva de que a evolução acontece pela vontade do organismo. No entanto, a teoria não exige nenhuma consciência do indivíduo, apenas um pouco de flexibilidade.

Lamarck não inventou a ideia dos caracteres adquiridos. A ideia é remota - foi discutido na Grécia por Platão, por exemplo. No entanto, a maioria dos pensamentos modernos sobre o papel do processo na evolução foram inspirados em Lamarck.

darwin-g17

Lamarck, como pessoa, não tinha o gênio de fazer amigos, e seu rival, o anatomista George Cuvier (1769 - 1832), sabia como conduzir uma controvérsia. Lamarck tinha interesses variados, em química e metereologia, assim como em biologia, mas suas contribuições não recebiam as devidas atenções. Em 1809, Lamarck se convenceu que havia uma conspiração silenciosa contra suas ideias. Os metereologistas ignoraram seu sistema de previsão do tempo, os quimicos ignoraram seu material químico, e quando Filosofia Zoológica finalmente foi publicada, também foi recebida em silêncio. No entanto, na realidade foi um livro de influência. Foi pelo menos em parte a esse trabalho que Cuvier e sua escola iniciaram diversos estudos. A escola de Cuvier estudou a anatomia dos animais para descobrir os planos fundamentais de acordo com os diferentes tipos de organismos. Cuvier estabeleceu, então, que o reino animal era dividido em vertebrados, articulados, moluscos e radiais. Hoje o sistema é outro, mas não o contraria totalmente. Cuvier também estabeleceu, contrário a Lamarck, que as espécies entravam em extinção.

As ideias de Lamarck ficaram conhecidas pela Grã-Britanha através de uma discussão crítica de Charles Lyell no livro "Princípios de Geologia", que teve grande influência e criticava Lamarck.

Podemos concluir que as principais ideias de Lamarck foram a "força interna" dos organismos e a herança dos caracteres adquiridos. Seus méritos incluem o combate ao fixismo da época e claro, a primeira teoria científica com fundamentos sobre a evolução.

Assine nosso jornal mensal!