wigs for women wig types hair extensions for short hair headband wigs human hair wigs wig types sepia wigs wigs for black women forever young wigs synthetic hair lace wigs wig store human hair falls sherri shepherd wigs lace front wigs best wigs wigs for black women raquel welch wigs lace front wigs human hair wigs wigs for black women wigs for women cheap wigs lace front wigs human hair wigs hairpieces for women
BioInfo - Álcool

Busca

  brainmenor
     

Desde os tempos mais antigos, o álcool tem desempenhado uma variedade de funções na sociedade. As bebidas alcoólicas foram utilizadas como fonte de nutrientes, anti-sépticos e analgésicos. Elas podem auxiliar na desinibição social, facilitar o relaxamento, proporcionar prazer farmacológico, entre outros.

Período Antigo

Não se sabe exatamente quando o álcool foi usado pela primeira vez, no entanto já foram encontrados barris de cerveja da Idade da Pedra, ou seja, tão antigos quanto o período neolítico (cerca de 10.000 a.C.) e sugere-se que a cerveja tenha precedido o pão. O vinho apareceu claramente em pictogramas egípcios em torno de 4.000 a.C.

1112-vat-making-beerCuba de pedra onde a cerveja poderia ter sido produzida pela primeira vez. Sugere-se que a produção de cerveja, e não de alimentos, tenha sido o maior motivo para a cultura de cereais.

As primeiras bebidas alcoólicas podem ter sido feitas a partir de frutos ou mel, enquanto o vinho pode ter se originado nas regiões de uva selvagem no Oriente Médio. No Antigo Testamento é relatado que Noé plantou uma vinha no Monte Ararat, que fica no leste da Turquia. Na Suméria tem-se relatos da utilização de cerveja e vinho para propósitos medicinais já em 2.000 a.C.

No Egito a importância das bebidas alcoólicas fica evidente com a existência do Deus Osiris, deus do vinho, que era admirado no país inteiro. A cerveja e o vinho eram ambos produzidos como oferenda aos Deuses. Os antigos egípcios criaram pelo menos 17 tipos de cerveja e 24 tipos de vinhos.

  egyptian-tomb-wine


Na China as bebidas alcoólicas tinham grande importância religiosa e espiritual. O problema do abuso era visto de diferentes formas em cada região do mundo, mas era de conhecimento geral que o excesso levava ao alcoolismo. Até o primeiro e segundo século a.C., o alcoolismo não era raro e na verdade era bem comum, principalmente em homens importantes (como Júlio César, por exemplo), o que tornou o comportamento exemplar. Alguns, inclusive, se orgulhavam de seu comportamento destrutivo quando alcoolizados, como Marco Antônio.

Era Medieval

O período entre a queda de Roma e o Renascimento foi marcado por hidromel, cervejas rústicas e vinhos de frutas silvestres, especialmente entre os celtas, anglo-saxões, alemães e escandinavos. No entanto, o vinho permaneceu o favorito entre os países Românticos (atuais Itália, Espanha e França).

medieval-ale-wwwmashspargeboildotcomUma das primeiras canecas medievais utilizada para beber Ale.

 

Durante esse período, as melhores cervejas eram produzidas por monges, que guardavam os segredos da produção. Por volta do século XIII, o lúpulo (que conserva e dá sabor) tornou-se um ingrediente comum, especialmente no Norte da Europa. O Ale era uma bebida pastosa, grossa e nutritiva que azedava rapidamente e era feita para o consumo local. Na Era Medieval, as melhores viniculturas eram mantidas em monastérios, que podiam sustentar a manutenção e expansão do movimento.

A Peste Negra e pragas que seguiram, mudaram o modo de pensar das pessoas. Muitas começaram a beber mais, acreditando que isso iria as proteger das doenças misteriosas, enquanto outras optavam pela moderação em tudo, inclusive no álcool. Nesse período, o consumo de cerveja na região da Bavária, por exemplo, era de 300 litros por ano por pessoa (compare a 150 litros hoje).


Período Moderno

Período marcado por revoluções religiosas, como a Reforma Protestante, que estabeleceram que a bebida era um presente dos Deuses e criada para ser usada com moderação para o prazer e saúde, mas o alcoolismo era visto como um pecado. A partir dessa época, os efeitos negativos do excesso tomaram um lugar importante e a conscientização aumentou. Mesmo assim, o consumo ainda era alto. No século XVI, o consumo per capita por ano em Valladolid, na Espanha, atingia 100 litros e camponeses poloneses consumido até três litros de cerveja por dia. Marinheiros ingleses receberam um litro de cerveja por dia, enquanto os soldados receberam dois terços de um galão. Na Dinamarca, o consumo habitual de cerveja era de um galão por dia para os trabalhadores adultos e marinheiros.

No entanto, a produção e distribuição de bebidas destiladas espalhava lentamente. Beber destilados ainda era em grande parte para fins medicinais durante a maior parte do século XVI. Foi dito sobre o álcool destilado que "o século XVI o criou; século XVII o consolidou, e o XVIII o popularizou".

A bebida que claramente fez sua estréia durante o século XVII foi o champanhe espumante. O crédito para o desenvolvimento vai principalmente para Dom Perignon, o mestre-de vinho de uma abadia francesa. Por volta de 1668, ele usou garrafas fortes, inventou uma rolha mais eficiente (que pudesse conter a efervescência das garrafas fortes), e começou a desenvolver a técnica de misturar o conteúdo. No entanto, outro século se passaria antes que os problemas, especialmente o de estourar garrafas, seria resolvido até o champanhe se tornar popular.

Dom-Perignon-Statue
Estátua de Dom Perignon em Moët et Chandon


O destilado de
grão original, o uísque, parece ter sido primeiro destilado na Irlanda. Embora suas origens específicas sejam desconhecidas, há evidências de que por volta do século XVI, foi amplamente consumido em algumas regiões da Escócia. Foi também durante o século XVII que Franciscus Sylvius (ou Franz de la Boe), um professor de medicina na Universidade de Leyden, criou destilados a partir de grãos, que originou o gin.

Bebidas destiladas eram geralmente aromatizadas com baga de zimbro. A bebida resultante era conhecida como junever, a palavra holandesa para "zimbro". O francês mudou o nome para Genièvre, e o Inglês mudou para "Genebra" e depois foi modificado para "gin". Originalmente usado para fins medicinais, o gin como uma bebida social não foi aceita no primeiro momento. No entanto, em 1690, a Inglaterra passou "Um Ato para o Incentivo da Destilação de Brandy e Destilados do Milho" e dentro de quatro anos, a produção anual de bebidas destiladas, a maioria dos quais era gin, atingiu cerca de um milhão de litros.

243510386 7a5f6159deBagas de zimbro recém colhidas

O rum é produzido por destilação do melaço fermentado, que é o resíduo deixado após o açúcar ser feito a partir da cana-de-açúcar. Ninguém sabe quando foi produzido pela primeira vez ou quem o fez, mas por volta de 1657, uma destilaria de rum operava em Boston. Ela foi muito bem sucedida e dentro de uma geração, a fabricação de rum se tornou a maior e mais próspera indústria da Nova Inglaterra colonial.

melaco
Melaço: matéria prima do rum

  jack11 
Fonte: http://bit.ly/TKvs6l